Rede Corporativa
, 23 de abril de 2014.
05/09/2005
Estudo Bíblico - JULHO a SETEMBRO 2005
As armas do rei Josafá: Adoração e Louvor
Josafá era um rei que conhecia e amava a Deus. A Bíblia nos fala que ele era reto perante o Senhor.

“...vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus dizendo: Rendei graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre. Tendo eles começado a cantar e dar louvores, pôs o Senhor emboscadas contra os filhos de Amon e Moabe e os do monte Seir  que vieram contra Judá e foram desbaratados.” II Cr 20:21

 

Josafá era um rei que conhecia e amava a Deus. A Bíblia nos fala que ele era reto perante o Senhor. Certo dia, vieram até o rei alguns de seus servos e o avisaram que os filhos de Amon e os filhos de Moabe, vinham pelejar contra Judá. Disseram ao rei: grande multidão vem contra ti.

 

A primeira reação de Josafá foi de medo. Sabia que os inimigos eram muito maiores do que ele. Sabia que, não tinha exército suficiente para lutar. Sabia que, humanamente, estava derrotado. Mas Josafá teve três atitudes frente ao seu medo: A primeira atitude, foi de quem sabia de suas limitações, sabia que não poderia tomar nenhuma atitude por si mesmo, então ele se humilhou e “ se pôs a buscar o Senhor”. Ele não fugiu, ele não tentou se defender e nem mesmo se omitiu. Ele foi humilde perante o Senhor, derramou o seu coração e a sua angustia diante de Deus.

 

“...porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém nossos olhos estão postos em ti”. II Cr 20:12

.

A segunda atitude de Josafá foi “apregoou jejum em todo o Judá.” II Cr.20:3

Com Jejum, oração e clamor todo povo de Judá se pôs a buscar o Senhor derramando seus corações perante Deus e clamando por uma intervenção divina. “todo o Judá estava em pé diante do Senhor, como também as suas crianças, as suas mulheres e os seus filhos”. II Cr 20:15

 

E Deus respondeu: “Não temais nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus...neste encontro, não tereis que pelejar; tomai posição, ficai parados  e vede o salvamento que o Senhor vos dará...não temais, nem vos assusteis”.II Cr 20:15

 

Josafá então se prostrou com o rosto em terra e todo o povo se prostrou perante o Senhor e o adoraram. A terceira atitude de Josafá: ordenou aos levitas para louvarem ao Senhor em alta voz, sobremaneira, ordenou cantores para o Senhor, que vestidos de ornamentos sagrados, marchassem á frente do exército e louvassem a Deus dizendo:  Rendei graças ao Senhor, porque a sua misericórdia dura para sempre.

 

Deus deu a vitória ao reino de Judá. 2° Crônicas nos conta que “tendo Judá chegado ao alto que olha para o deserto, procurou ver a multidão, e eis que eram corpos mortos, que jaziam em terra, sem nenhum sobrevivente”. (20:24)

 

Josafá e o povo de Judá não lutaram, não pelejaram, não tiveram uma baixa sequer e o exército nem se moveu, eles apenas adoraram e cantaram louvores ao Senhor, enquanto o inimigo estava sendo destruído. Então, o exército de Amom e Moabe fora confundido pelo Senhor que lançou confusão entre eles e eles mesmos se destruíram.

 

Essas eram as armas de Josafá: Adoração e Louvor.

Primeiro Josafá buscou ao Senhor, em seguida jejuou e por fim adorou e louvou ao Senhor seu Deus. Conseqüência desta atitude foi a vitória frente aos seus inimigos.

 

“não pela força ou violência mas pelo meu Espírito, diz o Senhor”.

 

Hoje a batalha, para nós cristãos continua. Nossos inimigos estão sempre se reunindo para a peleja e roubar nosso depósito em Cristo.

 

Quando temos pela frente dias difíceis, batalhas em nossas vidas: enfermidades, problemas, ansiedade, preocupações, tribulações, não somos muito diferentes de Josafá. O medo enche nosso coração.  Essa é a nossa humanidade. Quando vemos a multidão de problemas que vem em nossa direção, temos medo.

 

Mas devemos seguir o exemplo deste Rei. O Espírito Santo deixou esta história registrada na bíblia, para que sigamos o seu exemplo. Nesta passagem da Bíblia o Espírito Santo nos ensina como devemos proceder no dia da dificuldade.

 

Primeiro, devemos buscar ao Senhor de todo nosso coração, Segundo, devemos jejuar e terceiro, adorar e louvar ao Senhor. Os levitas estavam “vestidos de ornamentos sagrados e marchando louvavam ao Senhor.” Nós temos que estar vestidos de ornamentos sagrados: vida de Jesus em nós, vida de santidade.

 

Devemos colocar nosso problema, o que nos aflige diante de Deus e depois simplesmente adorá-lo e louvá-lo com cânticos e hinos espirituais e observar a vitória do Senhor.

 

A atitude de adoração e louvor é a expressão de reconhecimento do senhorio de Cristo em nossas vidas. É o reconhecimento da soberania de Deus perante nossas batalhas, “não sou eu quem vivo mas Cristo vive em mim”. A adoração e louvor são as armas da nossa batalha. São elas que devemos utilizar ao enfrentar as dificuldades que se apresentam na nossa vida.  Quando agimos assim, reconhecemos que Deus é soberano e que só nele está a vitória.

 

“De manhã, Senhor, ouves a minha voz; de manhã apresento a minha oração e fico esperando”. Sl 5:3

 

João era o discípulo amado do Senhor Jesus, ele era aquele que reclinou a cabeça no peito de Jesus. Provavelmente era o discípulo mais sensível do Senhor. Em momentos fundamentais da vida do Senhor Jesus, João estava lá junto com Pedro e Tiago. João conhecia profundamente o mestre como vemos no seu evangelho. Mas na ilha de Patmos quando ele viu Jesus glorificado ele caiu como morto. Perdeu as suas força, ele não agüentou aquela imagem magestosa de Jesus. O mestre colocou as mãos sobre seu ombro e disse: não temas.

 

João, na sua visão apocalíptica do Reino, quando descreve o lugar onde Jesus habita, ele só descreveu louvores e adoração.

 

“Santo,santo,santo é o Senhor Deus, o Todo Poderoso, aquele que era que é e que há de vir” Ap 4:8. Enquanto na terra reinava o juízo de Deus, nos céus reinava a adoração.

 

“Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder...” Ap 4:11

 

“Digno é o cordeiro, que foi morto de receber o poder, e a riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória e louvor.” Ap.4:12 

 

A conseqüência de esperar no Senhor e desenvolver um coração de adorador é a alegria “...e tornaram para Jerusalém com alegria; porque o Senhor os alegrara com a vitória sobre os seus inimigos”. II Cr 20:27.  E o fruto de viver nesta posição é a paz: “Assim o reino de Josafá teve paz, porque Deus lhe dera repouso por todos os lados”.  \"E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e as vossas mentes em Cristo Jesus\". Fp 4:7

 

Assim deve ser o nosso proceder dia a dia. Diante de todos os problemas e aflições, a adoração e o louvor são nossas armas de batalha.

 

“Ao quarto dia, se juntaram no vale de Benção, onde louvaram o senhor; por isso, chamaram aquele lugar vale de benção até o dia de hoje”. II Cr 20: 26

Façamos de nossos vales da vida, “vales de Benção”, lugares de adoração ao Senhor enquanto ele triunfa sobre nossos inimigos.

 

Asaph Borba - asaphrosana@terra.com.br 

Fonte: Adorar.net



Atalhos da página



 
 


Ministério Frutos do Espírito - Todos os diereitos reservados
AV. Antônio Emmerick, 1.216 – São Vicente/SP - CEP: 11370-000
Telefax: (13) 3561-5139 | e-mail: danielsouza.frutos@gmail.com
Horário de funcionamento do escritório é de segunda a sexta das 9h as 13h

Frutos do Espírito
Rede Corporativa e-Solution Backsite